Formas de aproveitamento da água da chuva são apresentadas em Itaboraí

Sustentabilidade; Aproveitamento

A palestra sobre o aproveitamento da água da chuva foi realizada pelo CREA-RJ e pelo Conleste, na OAB Itaboraí.

Nesta terça-feira (10) o Conleste e o CREA-RJ realizaram uma palestra técnica sobre aproveitamento da água da chuva. A fim de provocar comportamentos sustentáveis, o encontrou contou com a palestra do professor Leonardo Nogueira.

A saber, o evento foi realizado na OAB Itaboraí/RJ e contou com a presença do Prefeito e Presidente do Conleste, Sadinoel Souza; do Presidente da OAB Itaboraí, Dr. Lauro Mattos; do Superintendente de Compliance da Sec. de Estado de Trabalho e Renda, Rodrigo Cintra; do Diretor Geral do Conleste, João Leal, assim como do Diretor de Planejamento, William Marins; e do professor e palestrante, Leonardo Nogueira.

Conversa antes do início do evento na OAB Itaboraí
Início do evento na OAB Itaboraí

Primeiramente, o Prefeito e Presidente do Conleste, Sadinoel Souza, abriu o evento falando sobre a importância de protegermos o meio ambiente. Em resumo, o prefeito falou sobre a relevância de realizar projetos como a captação da água da chuva. Ao passo que, projetos como esse, são simples de serem executados e trazem benefícios enormes.

A palestra técnica “Aproveitamento da Água das Chuvas nas Edificações”

Na palestra, o professor Leonardo Nogueira apresentou não só os sistemas de captação, bem como leis municipais e estaduais que provocam a mesma pauta.

Palestrante Leonardo Nogueira falando sobre a importância da captação de água das chuvas
Palestrante Leonardo Nogueira falando sobre a importância da captação de água das chuvas

Sob o mesmo ponto de vista, o professor refletiu sobre o risco de crise hídrica no Brasil. Além disso, ressaltou sobre a importância das localidades realizarem medidas para amenizar as questões hídricas a partir de práticas sustentáveis. Segundo Nogueira, a utilização da água de chuva traz o benefício de não permitir que a água caia no esgoto comum. Evitando, portanto, que a água se contamine antes mesmo de ser utilizada.

De acordo com o professor, os sistemas de aproveitamento da água das chuvas podem ser facilmente instalados em casas, prédios, hotéis, dentre outros. Além disso, foram demonstrados algumas atividades que podem ser realizadas com água da chuva. Dentre elas, estão: descarga de vasos sanitários, limpeza de varandas, quintais e calçadas; limpeza de carros; regar jardim; ou mesmo, resfriamento de equipamentos, no caso de indústrias.

Posteriormente, o palestrante apresentou um vídeo sobre um projeto realizado na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). A iniciativa, nomeada como DesviUFPE, trouxe uma solução simples de como realizar o descarte da primeira água que cai do telhado. Sem dúvida, esse processo de descarte é muito importante, já que o telhado acumula poluição, rejeitos de passarinhos, etc.

Medidas governamentais

Em seguida, o professor provocou as frentes governamentais sobre tais medidas. Uma das sugestões apresentadas foi a implantação do IPTU Verde. Segundo dados apresentados pelo palestrante, cerca de 70 municípios brasileiros já implantaram essa medida.

Com efeito, os municípios efetuam incentivos fiscais (descontos) para os cidadãos que implantam a captação de água das chuvas. Dentre eles, destacam-se os municípios de Tietê (SP) e Campos do Jordão (SP), que oferecem descontos no IPTU de até 100% e 90%, respectivamente.

Por fim, o palestrante fez questionamentos sobre o saneamento básico nos municípios, apresentou modelos simples de captação de água e demonstrou algumas leis existentes sobre o tema ao redor do país.

Aplicação de prova aos presentes

Realização da prova aplicada pelo Conleste.
Realização da prova aplicada pelo Conleste

Na plateia, estavam presentes engenheiros, arquitetos e estudantes que se interessaram sobre o assunto. Com efeito, o Conleste aplicou uma prova discursiva aos presentes não só sobre a captação da água da chuva, bem como sobre o entendimento sobre consórcios públicos.

Em síntese, a prova aplicada pretende nivelar o público e, possivelmente, selecionar profissionais para realizar um projeto municipal em 2020. A saber, a iniciativa pretende instalar sistemas de captação de água da chuva em seis escolas municipais em Itaboraí.

Para mais informações sobre essa iniciativa, acompanhe as nossas redes sociais.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *